Loading...

terça-feira, 5 de abril de 2011

Estudo indica que religião pode acabar em 9 países ricos

Dados de censos colhidos desde o século 19 indicam que a religião pode ser extinta em nove nações ricas que foram analisadas em um estudo científico.
A pesquisa identificou uma tendência de aumento no número de pessoas que afirmam não ter religião na Austrália, Áustria, Canadá, Finlândia, Irlanda, Holanda, Nova Zelândia, Suíça e República Tcheca –o país com o índice mais elevado, com 60%.
Usando um modelo de progressão matemática, o levantamento –divulgado durante um encontro da American Physical Society– mostra que as pessoas que seguem alguma religião vão praticamente deixar de existir nestes países.
Na Holanda, por exemplo, 70% dos holandeses não terão religião alguma até 2050. Hoje, esse grupo é de 40% da população.
“Em muitas democracias seculares modernas, há uma tendência maior de as pessoas se identificarem como sem uma religião”, afirma Richard Wiener, que trabalha em um centro de pesquisa em ciência avançada, subordinado ao departamento de física da Universidade do Arizona.
A pesquisa seguiu um modelo de dinâmica não-linear que leva em conta fatores sociais e a influência que exercem em uma pessoa a fazer parte de um grupo não-religioso.
Os parâmetros se mostraram semelhantes em vários países pesquisados, indicando que a religião está a caminho da extinção nessas nações.
fonte: Ateus do Brasil- Folha de S. Paulo.

Ateísmo

Ateísmo, num sentido amplo, é a rejeição da crença na existência de divindades.[1] Em um sentido mais restrito, o ateísmo é precisamente a posição de que não há divindades.[2] De forma mais ampla, o ateísmo é simplesmente a ausência da crença de que divindades existem.[3] O ateísmo é o oposto do teísmo,[4][5] que em sua forma mais geral é a crença de que pelo menos uma divindade existe.[5][6]
O termo ateísmo proveniente do grego ἄθεος (atheos), que significa "sem Deus", foi aplicado com uma conotação negativa aos pensamentos que rejeitavam os deuses adorados pela maioria da sociedade. Com a difusão do pensamento livre, do ceticismo científico e do consequente aumento da crítica da religião, a aplicação do termo foi reduzida em seu escopo. Os primeiros indivíduos a se identificarem como "ateus" surgiram no século XVIII.[7]
Ateus tendem a ser céticos em relação a afirmações sobrenaturais, citando a falta de evidências empíricas. Os ateus têm oferecido vários argumentos para não acreditar em qualquer tipo de divindade. Estes incluem o problema do mal, o argumento das revelações inconsistentes e o argumento de descrença. Outros argumentos do ateísmo são filosóficos, sociais e históricos. Embora alguns ateus adotem filosofias seculares,[8][9] não há nenhuma ideologia ou um conjunto de comportamentos a que todos os ateus aderem.[10]
fonte: wikipedia

Ateísmo & Liberdade, vale a pena ler.

 obra Ateísmo & Liberdade foi concebida com o objetivo de lançar alguma luz sobre questões fundamentais da existência humana. André Cancian. Ed. Ateus.net

ATEÍSTAS X DATENA

O Ministério Público Federal entrou com ação civil pública na Justiça para obrigar a TV Bandeirantes a exibir uma retratação no programa Brasil Urgente pelas declarações ofensivas do apresentador José Luiz Datena contra os ateus. No programa levado ao ar no dia 27 de julho de 2010, Datena e o repórter Márcio Campos relacionaram o crime com pessoas que não acreditam em Deus “...porque o  sujeito que é ateu, na minha modesta opinião, não tem limites, é  por isso que a gente vê esses crimes aí”. O apresentador foi além, atribuindo os males do mundo aos ateus: “É por isso que o mundo está essa porcaria. Guerra, peste, fome e tudo mais, entendeu? São os caras do mal. Se bem que tem ateu que não é do mal, mas, é ..., o sujeito que não respeita os limites de Deus, é porque não sei, não respeita limite nenhum”, disse Datena